Entrevista concedida ao jornalista @rodrigoperet, do Jornal A Tribuna @tribunaonline, em que fizemos uma análise acerca do momento de renovação política no Brasil.
A Constituição Federal estabelece, entre outros requisitos, que para ser elegível a cargo público basta a maioridade e estar em pleno exercício dos direitos políticos (ficha limpa), que somados aos anseios sociais de renovação política, com a busca de novos pensamentos que atendam ao interesse público, acabou por empurrar novos protagonistas para a política, tanto no Poder Legislativo quanto no Executivo, abrindo, assim, grande espaço e oportunidade para os jovens, a juventude politizada.
Porém, notadamente, ficou claro que a população buscou também gestores que tinham qualificação pessoal e profissional, que apresentaram ideias claras, visando ao interesse público, bem como, reitero, àqueles que tinham a “ficha” pessoal limpa, sem condenações criminais e sem uma carreira política. O que está se tornando um pensamento dominante.
Durante muito tempo o interesse público ficou de lado, tanto o Executivo quanto o Legislativo serviam de “cabide de emprego”, muitas vezes ferindo, inclusive, os Princípios que regem o Poder Público, entre os quais a legalidade, impessoalidade, a moralidade, e, especialmente, a eficiência no serviço público.